Um pouco de luz rasga-se por entre as cortinas da janela e mostram-me que já não é cedo, a manhã já vai longa mas o sono abraçou-me até agora. Tento olhar para o relógio mas a luz do sol ofusca-me o olhar e sinto ainda os olhos pesados e embriagados depois de uma noite que ainda não tive completa noção da sua história.

Sinto uma preguiça aberrante percorrer-me todo o corpo, e uma felicidade inexplicável a dominar a minha alma e a estampar-me um sorriso estúpido na cara de quem está apaixonada mas ainda não se apercebeu. Abraço-me aos lençóis brancos nos quais sinto um cheiro afável e familiar…desperta-me os sentidos e recordo com um impacto tremendo que aquela noite não foi tão comum como pensará, foi fugaz mas foi capaz de tocar a minha pele e arrebatar o meu coração. Sei bem que foste tu quem me amou durante toda aquela noite, que foi contigo a meu lado que adormeci e que é o teu cheiro que está estampado naqueles lençóis.

Dou meia volta na cama e um pequeno arrepio percorre-me a espinha. Um cartão em cima da travesseira que foi tua por uma noite, um “Amo-te” lá escrito que me fez mais que sorrir, soltou borboletas no meu estômago e um nervoso miudinho de quem encontrou o seu príncipe encantado.

Não sais-te de casa há muito tempo, o teu espaço na minha cama ainda solta o teu calor…

4 comentários:

Marco Rebelo disse...

gostei da apresentação " sem descrição possivél " :)
bom blog :)

Saga disse...

Lindo texto. Até me despertou saudade de outros tempos.

Selo para ti no meu blogue.

**

S* disse...

E dói...

*Margarida* disse...

Textos lindos :))

Gosto da tua maneira de escrever. Aliás, tu escreves bem.

Beijo

Note.

[Imagens recolhidas do Google e do DevianArt]

Friend(s)