Foi dedicação...

Foram meses, dias, horas, minutos da minha vida que eu te ofereci. Poderia ter-te oferecido algo mais precioso? Cada minuto contigo foi vivido com tal intensidade e dedicação por minha parte que tu até que inconscientemente davas valor, e amavas os gestos de carinho que eu tinha para contigo. Eu acordava e adormecia a pensar numa conjugação de belas palavras que pudessem transmitir aquilo que ia no meu coração, eu escrevia e tu lias com teus lindos olhos, e sorrias como se o teu mundo ganhasse outra dimensão irreal, onde tu eras a personagem principal e eras amado como ninguém antes tinha sido. Sempre gostas-te de ser o centro e que tudo á tua volta funcionasse tendo em conta o que gostas ou não, tu eras o sol e tudo o resto era secundário. Eu não me importei com isso, sabia que no fundo tu tinhas sentimentos, eras quente como o sol e o teu corpo me aquecia e me transportava para uma paz imensa. Para mim o importante era que tu te lembrasses que eu existia e que estava aqui para te amar, independentemente das tuas escolhas. Começo acreditar que os teus defeitos eram em parte a maior atracção que eu via em ti, tu eras diferente.
Sabias usar as palavras certas no momento exacto, eras dono e senhor da convicção e isso a mim transmitia-me confiança e protecção. Nem imaginas o efeito que a palavra “Amo-te” dita por ti tinha em mim, o meu coração rejubilava de alegria, minha alma encontrava a plenitude da felicidade, todo o meu corpo tremia e meus olhos resplandeciam a esperança de toda uma vida contigo. Eu sempre fui uma menina que acreditava que existia um tal de príncipe encantado, que me vinha buscar no seu cavalo branco e eramos felizes para sempre, mas agora cresci, o príncipe afinal não existe e tu está bem longe de o ser.
Foste capaz de descartar todas as minhas palavras de amor e todas as minhas tentativas de me aproximar de ti foram frustradas. Sistematicamente ignoras-te os meus sentimentos, preferis-te partir á descoberta de novos mundos. És feliz assim? Garanto-te que dificilmente encontrarás dedicação, amor e amizade como eu te ofereci. Apesar da realidade que era composta pelas tuas constantes negações, eu ainda tinha forças para lutar por ti, sempre dei valor ao amor e aprendi a não o deixar morrer sem lutar por ele.
Corri, corri e corri. Humilhas-te e eu continuei a correr, usaste-me e levaste-me para o teu mundo de mentira e descartável. Voltei a correr, mas cansei… não adianta caminhar a passos largos para algo que eu comecei a deixar de acreditar, tu estás longe, se eu continuo a correr provavelmente morro antes de chegar a ti, pelo caminho existem espinhos que tu próprio deixas-te para me avisar que eu talvez deva parar.
Se queres saber, esqueci do caminho que me leva até ti. Se um dia eu tiver de te ter então o vento que te traga até mim, mas não esperes que eu esteja aqui cheia de palavras de amor e com as mesmas mãos macias que te acariciavam o rosto, talvez nessa altura eu já não esteja no sítio que me deixaste, talvez eu também tenha partido á descoberta de novos mundos, e lembra-te que foste tu quem sempre me incentivou a procurar coisas novas.
Eu sei que um dia darás valor ao que eu te dediquei, acredito que adormeces a desejar que eu te diga pura e simplesmente “Boa noite”, mas tu és importante demais no teu mundo para te rebaixares ao amor.
-Inspirado na história da menina que acreditava que um “Amo-te” era sempre sincero. E*

1 comentário:

rita disse...

Dediquei um ano da minha vida numa relação, e hoje pergunto-me se valeu a pena tanto esforço, para no fim acabar sem nada, perder tudo.
mais uma vez, gostei dos teus textos :)

Note.

[Imagens recolhidas do Google e do DevianArt]

Friend(s)