Inspirar...

Que sufoco. Quero falar mas não consigo. Sinto nos meus lábios um sabor amargo, ardente como se cola se tratasse. Como se unisse eternamente estes componentes do meu corpo que se movimentam a cada palavra pronunciada. Mas agora estão fechados sobre si, impedem a saída de qualquer desabafo de mim. Acumulam desilusões e frustrações escondidas nos escombros do desconhecido. Opção mórbida de ruminar o que já deveria ter sido digerido.
Sinto na minha garganta um acumular de pedaços de nada que apenas proíbem a passagem do licor que adoça a vida. É um esforçar pelo irremediável.

3 comentários:

SaraPereira. disse...

O problema talvez seja mesmo esse, o despedimento eterno. E se, desistíssemos de nos tentar despedir? Como tu dizes, temos apenas um sabor amargo que outrora fora doce, quando se uniam com os tais (...)
Vou mergulhar minha boca em água quente e fazer com que a cola perca toca a força apoderando-me eu dela.

rita disse...

Desafio para ti no meu blog :)

ti em mim disse...

adorei, adorei mesmo :)
"Opção mórbida de ruminar o que já deveria ter sido digerido." nunca me lembraria de tal metáfora, espectacular =)

Note.

[Imagens recolhidas do Google e do DevianArt]

Friend(s)