Destino?

"O que ainda me faltava aprender era que as coisas raramente são tão limpinhas e arrumadas como aqueles "relatos de sofá" que eu ouvira no filme. O que fui aprendendo ao longo do tempo foi que, na esmagadora maioria das vezes, as histórias que ouvimos da boca dos velhotes felizes têm sempre o seu quê de exagero poético, de perfeito eufemismo para dar á coisa um brilho extra. E a não ser que nos casemos com o nosso namorado do liceu (e, por vezes, nem sequer nesse caso) não existem «inícios de romance» particularmente bonitos ou gloriosos. Existem, sim, pessoas, lugares e acontecimentos que nos conduziram áquela relação, e pessoas, lugares e acontecimentos que preferimos esquecer ou pelo menos ignorar. No final até podemos colar um rótulo bonitinho em cima da relação - chamando-lhe feliz descoberta ou destino. Ou então, optamos por acreditar que é apenas o modo aleatório que a vida tem de se desenrolar."

"Escolhi o teu amor" - Emily Giffin

3 comentários:

Cátia Vieira disse...

que post bonito, adorei!

Bernardo disse...

Adorei mesmo

CátiaSofia disse...

Tens toda a razão e se esses idosos contassem as histórias assim como elas são, ficam mais interessantes e bonitas.

Beijo grande+.+

Note.

[Imagens recolhidas do Google e do DevianArt]

Friend(s)