Gostei...

"Gostar, sentimento algo profundo, capaz de dominar qualquer sentimento racional. Penetra na nossa mente, acalenta nosso coração e escolhe cada palavra trabalhada pelas cordas vocais. Permite esquecer tragédias, relembra que estamos vivos e alimenta nosso sorriso."

Eu hoje poderia: amar-te, odiar-te ou ignorar-te. Aparentemente é uma escolha difícil. No entanto tu com o teu ego elevadíssimo acreditas seriamente que eu te amo. Mas lamento, erras-te desta vez. Eu desisti de ser apenas mais uma na tua vida. Contudo, admito aqui mesmo, que gostei de ti, não amei é certo, mas tive um carinho bastante especial por ti, podes acreditar. Ao longo de um tempo na minha vida, tu foste a luz que iluminava o meu caminho, a minha inspiração constante, a água que saciava a minha sede, aquecias o meu coração com palavras de amor e eu respondi da mesma forma, apenas te queria ver feliz. Era impossível eu imaginar um futuro sem ti, hoje percebo a minha ingenuidade, acreditava que a minha vida apenas tinha um sentido, TU! Mas um dia…Puff, tudo desapareceu. Onde estás? Perguntas como esta preencheram a minha cabeça por períodos prolongados. Dentro de mim existia um vazio enorme.
O normal agora seria odiar-te. Provocas-te em mim um grande sofrimento que eu sei que não merecia, apenas te queria ver feliz a meu lado. Mas odiar-te é coisa que não consigo. Jamais deixaria me auto-destruir só a pensar em vinganças. Não, não e não. Sabes bem que ódio não faz de todo parte da minha personalidade, não tenho paciência nem capacidade mental para suportar tal sentimento em mim.
Só me resta ignorar-te. Com o tempo vou aprendendo a que tu me sejas indiferente. É certo que ainda escrevo para ti, mesmo sabendo que tu não lês, apenas tenho esta forma de libertar tudo o que está no meu coração.
Prefiro ignorar-te porque só desta forma tenho noites tranquilas, longe dos pensamentos que um dia me atormentaram. Só sendo indiferente é que conseguirei chegar um dia á minha meta, que é esquecer-te.Um dia gostei de ti, hoje tento ignorar-te. A vida faz disto.

3 comentários:

rita disse...

Adorei todo, mas esta parte tocou-me:

« O normal agora seria odiar-te. Provocas-te em mim um grande sofrimento que eu sei que não merecia, apenas te queria ver feliz a meu lado. Mas odiar-te é coisa que não consigo. Jamais deixaria me auto-destruir só a pensar em vinganças. Não, não e não. Sabes bem que ódio não faz de todo parte da minha personalidade, não tenho paciência nem capacidade mental para suportar tal sentimento em mim.
Só me resta ignorar-te. Com o tempo vou aprendendo a que tu me sejas indiferente. É certo que ainda escrevo para ti, mesmo sabendo que tu não lês, apenas tenho esta forma de libertar tudo o que está no meu coração.
Prefiro ignorar-te porque só desta forma tenho noites tranquilas, longe dos pensamentos que um dia me atormentaram. Só sendo indiferente é que conseguirei chegar um dia á minha meta, que é esquecer-te.Um dia gostei de ti, hoje tento ignorar-te. A vida faz disto. »

Stéphanie disse...

este texto é tão tão..tu sabes!

sempre presente,sempre leitora em primeira mão!

deuses!

bruna disse...

"Só sendo indiferente é que conseguirei chegar um dia á minha meta, que é esquecer-te.Um dia gostei de ti, hoje tento ignorar-te. A vida faz disto."

adoreiii :$
é muito dificil ignorar quem se ama, eu sei.
mas um dia vais conseguir, vais ver (:

Note.

[Imagens recolhidas do Google e do DevianArt]

Friend(s)